Pages

25 de set de 2012

UMA VIDA DE LOUVOR...



Viver uma vida de louvor é viver alinhado com a Palavra. Dizer NÃO ao sistema do mundo é viver uma vida de louvor. Uma vida de louvor exala um bom perfume. E assim como um perfume bom atrai, um mau cheiro repele. Paulo disse que nós somos o bom perfume de Cristo. Exalar esse perfume é viver Jesus, viver a Palavra.
As pessoas no mundo adoram qualquer coisa, mas quando se nasce de novo, se descobre para o que de fato nascemos. Nascemos para adorar a Deus. Adoração foi feita para ser dada unicamente a Ele.
Estamos na nova aliança e podemos adorar ao Pai em espírito e em verdade. Eu não preciso olhar para a velha aliança e ficar “babando”, porque estou em uma aliança bem melhor em todos os aspectos. Vivemos hoje em uma superior aliança aonde podemos adorar ao Pai em todo lugar que estivermos.
Não há ambiente mais favorável para a adoração do que o meu coração. Independente da excelência do lugar, o meu coração ainda é o que Deus quer.
O meu nível de maturidade é mostrado quando dentro do fogo eu tenho palavras de louvor e adoração nos meus lábios. A adoração é o amor profundo demonstrado a Deus.
Adorar é amar a Deus extravagantemente. 
A adoração é uma via de mão dupla. Sou eu dando a Deus adoração e Deus me dando graça e favor. Deus me ama extremamente, por isso, adoração não é uma coisa egoísta.
Eu estou correspondendo a Deus quando o adoro, pois a adoração abrange um estilo reto de vida.
“Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda”. (I Timóteo 2.8)
O que é legitimo é abençoador. As pessoas quando adoram não são manipuladas, mas inspiradas. Quando se reconhece a grandeza de Deus se tem a humildade e a consciência de que precisamos dEle.

30 de jun de 2012


Vós Sois as Varas

(João 15:5)

Andrew Murray

Todas as coisas dependem de nossa vida correta em Cristo. Se nossa vida com Cristo está correta, tudo estará bem. Pode haver necessidade de instrução, inspiração, ajuda e treinamento, tudo isso tem seu valor, mas a longo prazo o mais essencial é ter vida plena em Cristo; em outras palavras, ter Cristo em nós, operando através de nós. O Mestre tem tal benção para cada um de nós, tal paz perfeita e descanso, tal alegria e poder; se simplesmente tomarmos e nos mantivermos na atitude correta em relação a Ele.
Que coisa simples é ser uma vara de uma videira. A vara brota da videira e ali ela vive e cresce, e, no devido tempo, dá fruto. Ela não tem responsabilidade exceto a de unicamente receber da raiz e tronco seiva e nutrição. Se nós apenas, através do Espírito Santo, conhecêssemos nosso relacionamento com Jesus Cristo, nossa obra seria transformada na coisa mais brilhante e mais celestial sobre a terra. Ao invés de haver fadiga de alma ou exaustão, nossa obra seria como uma nova experiência, nos unindo a Jesus como nada mais pode unir. Não é verdade que freqüentemente nossa obra fica entre nós e Jesus? Que tolice! A verdadeira obra que Ele tem para fazer em mim, e eu para Ele, abraço de tal forma que ela me separa de Cristo.
Muitos trabalhadores da vinha têm se queixado de ter muito trabalho e de não ter tempo para a comunhão com Jesus, e que seu trabalho habitual enfraquece sua disposição para orar, e que a interação com os homens obscurece sua vida espiritual. Triste idéia a de que o produzir fruto deveria separar a vara da videira! Deve ser porque olhamos para nossas obras como sendo algo mais do que a vara produzir fruto.
O que é a "vida da vara"? É vida de absoluta dependência. A vara não tem nada, ela depende somente da videira para todas as coisas. As palavras "absoluta dependência" são muito solenes, grandes e preciosas. Um grande teólogo Alemão escreveu dois grandes volumes alguns anos atrás para mostrar que toda a teologia de Calvino se resume naquele único princípio de absoluta dependência de Deus. Um outro grande escritor disse que somente a absoluta e inalterável dependência de Deus é a essência da religião dos anjos, e também deve ser a do homem. Deus é tudo para os anjos, e Ele espera ser tudo para os cristãos. Se pudermos aprender a depender de Deus todos os momentos do dia, todas as coisas estarão bem, se dependermos absolutamente de Deus.
Aqui encontramos este fato ilustrado com a videira e as varas. Deixe cada cacho de uva que você vê lembrá-lo de que a vara é absolutamente dependente da videira. A videira fez a obra, e a vara desfruta do seu fruto. O que a videira tem que fazer? Ela tem que executar um grande trabalho. Ela precisa lançar suas raízes no solo e procurar sob a terra as raízes que freqüentemente percorrem um longo caminho por nutrição, e bebê-la na umidade. Coloque adubo a uma certa distância e a videira estende suas raízes para lá, e então em suas raízes ou tronco ela transforma a umidade e o adubo numa seiva especial que produz o fruto. A videira executa o trabalho; a vara tem apenas que receber da videira a seiva.
Contaram-me que em Hampton Court, em Londres, havia uma videira que algumas vezes produzia alguns milhares de cachos de uva, e as pessoas ficavam espantadas com seu enorme crescimento e rica frutificação. A causa foi descoberta. Não muito longe de lá passa o rio Thames, e a raiz da videira se esticou, centenas de jardas, até chegar à beira do rio, e em seu rico lodo encontrou nutrição e umidade. As raízes levavam a seiva por toda aquela distância para dentro da videira e, como resultado, havia uma abundante e rica colheita. A videira tinha o trabalho para executar e as varas tinham apenas que dependerem da videira e receberem o que ela dava.
Isto é literalmente verdadeiro sobre o meu Senhor Jesus? Devo entender que quando tenho que trabalhar, quando tenho que pregar um sermão, liderar um estudo bíblico ou sair e visitar os pobres  toda a responsabilidade do trabalho está em Jesus? Isto é exatamente o que Jesus quer que você entenda. Cristo quer que em toda a sua obra a verdadeira fundação seja a abençoada consciência de que Cristo deve cuidar de tudo.
Como Ele satisfaz a confiança desta dependência? Ele o faz pelo envio do Espírito Santo, não de quando em quando como um presente especial, mas para relembrar que a relação entre a videira e as varas é tal que de hora em hora, diariamente, incessantemente existe uma viva conexão mantida. A seiva não flui por um tempo, então pára, e então flui outra vez, mas de momento em momento a seiva flui da videira para as varas. Assim que meu Senhor Jesus precisa de mim para tomar aquela abençoada posição como um trabalhador, e, manhã após manhã, dia após dia, hora após hora e passo após passo, em toda obra que tenho para fazer, somente permaneço diante dEle na simples e completa impotência de alguém que nada sabe, nada é e não pode fazer nada. Se sou alguma coisa, então Deus não é todas as coisas. Quando me torno nada Deus pode se tornar tudo, e o eterno Deus em Cristo pode Se revelar plenamente. Se você for uma verdadeira vara de Cristo, a Videira viva, descanse Nele. Deixe Cristo desempenhar a responsabilidade.
Repetindo, a vida da vara é uma vida de completa comunhão. O que a vara tem que fazer? Você conhece aquela preciosa e inexaurível palavra que Cristo usou, "permanecei". Sua vida é uma vida permanente. Como deve ser esse permanente? Deve ser apenas como uma vara na videira, permanecendo todos os minutos do dia. Há varas em permanente comunhão com a videira, de janeiro a dezembro. "Mas eu sou muito ocupado". Sim, mas é a mente que está ocupada com as coisas temporais. A ocupação do permanecer é a ocupação do coração, não da mente; a ocupação do coração apega-se e descansa em Jesus, uma ocupação na qual o Espírito Santo nos liga a Cristo Jesus. Oh! Creia que muito mais profundo do que o intelecto, muito profundo na vida interior, você pode permanecer em Cristo. Se você aprender por um momento a colocar de lado as outras ocupações e entrar neste permanente contato com a Videira celestial, verá que o fruto virá.
A completa, pessoal e real comunhão com Cristo é uma necessidade absoluta para o viver diário. Gaste tempo para estar a sós com Cristo. Você não pode ser uma vara saudável, vara na qual a seiva celestial flui, a menos que você gaste bastante tempo na comunhão com Deus. Se você não deseja sacrificar tempo para estar só com Ele e dar a Ele tempo para trabalhar em você todos os dias, mantendo o elo de ligação entre você e Ele, Ele não lhe dará a benção da inquebrável comunhão. Jesus Cristo convida você a viver uma comunhão com Ele. Diga de todo coração: "Oh Cristo, é isto que tanto espero, é isto que escolho". E Ele alegremente o dará a você.
Finalmente, a vida da vara é uma vida de completa rendição e poucos entendem seu significado. "Você tem alguma coisa a fazer, pequena vara, além de produzir uvas?" Não, nada. "Você está preparado para fazer nada?" Preparado para fazer nada! A Bíblia diz que nem mesmo uma pontinha da videira pode ser usada como uma pena; ela está preparada para nada fazer além de ser queimada. Nosso relacionamento deve ser assim. Somos completamente entregues à videira, e a videira pode nos dar mais ou menos seiva, como ela achar melhor. Aqui estou eu a sua disposição, e a videira pode fazer comigo o que achar melhor. Precisamos desta total rendição ao Senhor Jesus Cristo.
Quanto mais falo, mais sinto que este é um dos pontos mais difíceis de esclarecer, e um dos mais importantes e necessários pontos para esclarecer. Isto significa que assim como Cristo literalmente se entregou inteiramente a Deus, assim estou eu inteiramente entregue a Cristo. Isto é muito forte? Alguns podem pensar assim. Alguns pensam que não pode ser assim; mas assim como Cristo entregou inteiramente e absolutamente Sua vida para não fazer nada além de buscar o prazer do Pai e depender inteiramente e absolutamente do Pai, assim nós devemos nada fazer além de buscar o prazer de Cristo. Esta é a verdade desta questão. Cristo Jesus veio para soprar Seu próprio Espírito sobre nós, para nos fazer encontrar nossa mais alta bem-aventurança em viver inteiramente para Deus, assim como Ele fez.
Traga tudo ao relacionamento com Jesus e diga, "Senhor, todas as coisas em minha vida têm que estar em completa harmonia com minha posição como Sua vara, a abençoada Videira". Deixe que sua rendição a Cristo seja perfeita, e Ele mostrará a você o que está, e o que não está de acordo com Sua vontade, e o guiará na mais profunda e elevada bem-aventurança.

Extraído do livro "Absolute Surrender" (Rendição Absoluta).

30 de mai de 2012

Do livro "Todo dia é um dia especial". Max Lucado



Um triatleta bem-sucedido me disse o segredo de seu sucesso. 
"Você consegue fazer a corrida longa ao correr várias pequenas distâncias." Não nade quatro quilômetros; nade só até a próxima bóia. 
Em vez de pedalar cento e oitenta quilômetros, pedale dez, dê uma parada, e pedale mais dez. 
Nunca execute mais do que a tarefa à sua frente.
Jesus não deu o mesmo conselho? "Portanto, não se preocupem como amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal" (Mateus 6:34).
Joel Henderson, quando indagado sobre como conseguia escrever tantos livros, explicou que nunca escrevera um livro. 
Tudo o que fazia era escrever uma página por dia.
Encare os desafios em etapas. 
Você não pode controlar seu gênio para sempre, mas pode controlá-lo a cada hora.
Conseguir um diploma universitário pode parecer impossível, mas estudar um semestre é viável e passar uma boa semana é possível. "Você consegue fazer a corrida longa ao correr várias pequenas distâncias."




13 de mai de 2012

FELIZ DIA DAS MÃES!



A seguinte meditação foi escrita por Mary Rita Schilke Korzan, e é do livro "Stories For The Heart" (“Contos Para O Coração”):


Quando você pensava que eu não estava olhando, você pendurou meu primeiro desenho na geladeira, e eu quis pintar outro.
Quando você pensava que eu não estava olhando, você deu comida a um gato perdido, e eu pensei que era bom cuidar de animais.
Quando você pensava que eu não estava olhando, você fez um bolo de aniversário só para mim, e eu entendi que coisas pequenas eram especiais.
Quando você pensava que eu não estava olhando, você orou, e eu acreditei que havia um Deus com quem eu sempre podia falar.
Quando você pensava que eu não estava olhando, você me deu um beijo de boa noite, e eu me senti amado.
Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi lágrimas descendo dos seus olhos, e eu aprendi que às vezes coisas doem – mas que não faz mal chorar.
Quando você pensava que eu não estava olhando, você sorriu, e me fez querer ficar bonita(o) daquele jeito também.
Quando você pensava que eu não estava olhando, você se importou, e eu quis ser tudo que podia.


Quando você pensava que eu não estava olhando...  
Eu olhava … e queria lhe agradecer por todas aquelas coisas que você fez quando você pensava que eu não estava olhando.
Aqueles de nós que somos pais somos sempre cientes daqueles olhos e ouvidos observando e escutando tudo que fazemos e falamos.
Que Deus possa nos ajudar a viver de tal forma que cheguem mais perto de Deus pelo nosso exemplo, da forma como Jesus nos exortou a viver: 


“Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.” - Mateus 5:14-16

Do site: Iluminalma.com

11 de mai de 2012


Gideão disse a Deus: 'Se você vai salvar Israel por minha mão, como você prometeu vou colocar um pedaço de lã na eira. Se houver apenas orvalho no velo e toda a terra estiver seca, então eu saberei que você vai salvar Israel por minha mão, como você disse'. E assim aconteceu: Gideão levantou-se cedo no dia seguinte, torceu o velo e com o orvalho que nele havia encheu uma tigela de água. Então disse Gideão a Deus: "Não fique zangado comigo. Deixe-me fazer mais um pedido. Permita-me mais um teste com a lã. Desta vez, peço que a lã amanheça seca e o chão coberto de orvalho". Naquela noite, Deus fez assim. Somente a lã estava seca, e o chão estava coberto de orvalho. (Jz 6:36-40)

Colocando o velo no orvalho... fazemos isso seguidamente em nossa vida. Por conta de nossa pequena fé, precisamos muitas vezes pedir a Deus a confirmação de que nossas preces foram ouvidas.
E que alegria sentimos quando esses sinais aparecem, confirmando que Deus faz a sua aliança conhecida por aqueles que o temem.
Como é grande a nossa fé quando a lã está molhada... Mas há ocasiões em nossa vida que Deus quer nos levar além, e aí notamos a completa ausência de sinais. Circunstâncias pelas quais estamos orando parecem permanecer inalteradas dia após dia e não enxergamos nenhuma mudança de uma forma ou outra por um tempo muito longo.
Nesses momentos, ainda devemos ter fé, pois sabemos que se Deus nos prometeu, Ele é fiel para cumprir. Mesmo que nada confirme nossa fé. Podemos continuar a levantar e continuar a caminhar, porque nós sabemos quem é que caminha ao nosso lado. Sim, ainda devemos ter fé, mesmo quando a lã estiver seca após termos pedido que amanhecesse molhada...